Chocolate Para Cachorro: Pode? Não!

Quem aqui não acha chocolate uma delícia? Quem aqui nunca ficou tentado a dar um pedacinho de chocolate para o seu cachorro? Quem aqui pensou se esse pedacinho de chocolate faria mal para o seu cachorro? Quem aqui nunca pensou “chocolate para cachorro: pode?”. Essa é uma dúvida comum de muitos donos de cachorros e por isso fizemos esse post para esclarecê-las!

Além de um ato de amor, um ato de responsabilidade: assine a única newsletter que vai ajudar você a ser o melhor amigo do seu pet e receba conteúdos diretamente no seu e-mail clicando aqui!

1. Chocolate para cachorro: pode?

Não! Chocolate para cachorro não pode, nunca! O chocolate apresenta componentes tóxicos para os cachorros, os quais não tóxicos para nós humanos.

2. Quais são os componentes tóxicos do chocolate para cachorros?

Entre os componentes do chocolate, estão os carboidratos, os lipídios, as vitaminas, os sais minerais e também os ácidos orgânicos, como as metilxantinas, que são os componentes tóxicos do chocolate para os cachorros. As metilxantinas presentes no chocolate são a teobromina e a cafeína.

A quantidade de teobromina é muito maior do que a quantidade de cafeína no chocolate, por isso a teobromina é a substância mais perigosa para os cachorros.

A quantidade de teobromina varia de acordo com o teor de gordura do chocolate, de forma que quanto menos gordura, mais teobromina. Dessa forma, os chocolates meio-amargo e  amargo são os tipos de chocolate que apresentam maior quantidade de teobromina e, por isso, oferecem maior risco de intoxicação para os cachorros.

3. Por que esses componentes do chocolate são tóxicos para os cachorros e não são tóxicos para os humanos?

Esses componentes do chocolate são tóxicos para os cachorros porque eles metabolizam e eliminam essas substâncias de forma muito mais lenta em relação aos humanos. Assim, essas substâncias ficam muito mais tempo no organismo dos cachorros, podendo levar à intoxicação.

4. Como esses componentes do chocolate agem no organismo dos cachorros?

Após serem ingeridas, as metilxantinas são absorvidas no estômago e no intestino, sendo distribuídas para todo o corpo, alcançando inclusive o cérebro. Após serem absorvidas, as metilxantinas são metabolizadas pelo fígado e excretadas pela urina

A função das metilxantinas é estimular as funções orgânicas do corpo. Dessa forma,  provoca a estimulação do Sistema Nervoso Central, o que pode levar a hiperatividade, a tremores e a convulsões; provoca a estimulação do coração, o que pode levar a taquicardia e a arritmias cardíacas; provoca a constrição dos vasos sanguíneos, o que pode levar a hipertensão e a hipertermia, pois evita que o corpo perca calor para o meio externo; e ainda apresenta ação diurética, estimulando a produção de urina pelo rim e causando poliúria (urina em excesso). Assim, quanto maior a quantidade de metilxantinas ingerida, maiores e mais graves serão esses efeitos no organismo dos cachorros.

A meia-vida da teobromina nos cachorros, ou seja, o tempo necessário para reduzir pela metade a sua quantidade, é de 17.5 horas. Assim, a teobromina pode permanecer ativa no organismo dos cachorros por mais de 24 horas antes de ser eliminada e os sinais clínicos podem permanecer por 24 a 72 horas.

5. Qual é a dose tóxica de teobromina para os cachorros?

A dose tóxica de teobromina para os cachorros é de 100 a 200mg/kg. Geralmente, observa-se sinais leves, como vômito e diarreia, em cachorros que ingeriram 20mg/kg, sinais cardiotóxicos em cachorros que ingeriram 40 a 50mg/kg e sinais neurológicos, como convulsões, em cachorros que ingeriram 60mg/kg ou mais.

Mas para a gente ter noção desses valores, a gente precisa saber qual é a quantidade de teobromina no chocolate. E, como vimos acima, a quantidade de teobromina varia com o tipo de chocolate.

Quantidade de Teobromina e de Cafeína nos Diferentes Tipos de Chocolate

Dessa forma, considerando o chocolate amargo, há aproximadamente 14mg de teobromina em 1g de chocolate! Considerando que uma barra de chocolate tem aproximadamente 100g, se um cachorro de 10kg comesse um quarto dessa barra, ou seja, 25g, ele estaria ingerindo 350mg de teobromina. Ainda, considerando que 20mg/kg é suficiente para causar sinais leves como vômito e diarreia, o que equivale a 200mg para esse cachorro de 10kg, esse cãozinho, que ingeriu 350mg de teobromina em um quarto de chocolate, já teria sinais de intoxicação.

Importante! O chocolate branco é o tipo de chocolate com a menor quantidade de teobromina, mas mesmo assim pode causar intoxicação!

6. Quais são os sinais clínicos da intoxicação por chocolate em cachorros?

Os sinais clínicos da intoxicação por chocolate dependem do peso do cachorro (cachorros menores se intoxicam com quantidades menores), do tipo e da quantidade de chocolate ingerido.

Geralmente, os sinais clínicos aparecem nas primeiras 6 a 12 horas após a ingestão e incluem náusea, vômito, diarreia, dor e distensão abdominal.

Os sinais clínicos progridem com o passar do tempo e passam a incluir tremores, hiperatividade, ataxia (incoordenação motora) e convulsões.

Também pode ocorrer hipertermia, taquipneia (aumento da frequência respiratória), dispneia (dificuldade respiratória), taquicardia (aumento da frequência cardíaca), arritmia cardíaca, hipertensão, poliúria (urina em excesso) e desidratação. Ainda, em animais mais sensíveis, a intoxicação pode causar pancreatite devido ao alto teor de gordura presente no chocolate.

E, sim, infelizmente a intoxicação por chocolate pode levar os cachorros à morte

7. Como é feito o diagnóstico da intoxicação por chocolate em cachorros?

O diagnóstico da intoxicação por chocolate é realizado com base no histórico de ingestão, nos sinais clínicos e nos achados de chocolate no conteúdo da lavagem gástrica.

8. Como é feito o tratamento da intoxicação por chocolate em cachorros?

O tratamento da intoxicação por chocolate em cachorros deve ser realizado exclusivamente por um médico veterinário e consiste em uma terapia de suporte, visto que não existe um antídoto específico para esse tipo de intoxicação. 

Para eliminar a teobromina que ainda não foi absorvida pelo organismo, recomenda-se a indução do vômito, a lavagem gástrica (ambas em até duas horas após a ingestão) e a administração de carvão ativado, o qual adsorve a teobromina, diminuindo a sua quantidade disponível para absorção no organismo e eliminando-a com as fezes. 

Também recomenda-se a fluidoterapia intravenosa, que aumenta a excreção da teobromina pela urina e evita a desidratação. 

Deve ser realizado o controle das crises convulsivas e das arritmias cardíacas com os medicamentos adequados conforme a necessidade de cada paciente. A administração de oxigênio pode ser necessária para pacientes com dificuldade respiratória.

É importante realizar o monitoramento cardíaco e o monitoramento do débito urinário, além de manter o paciente sondado para manter a bexiga vazia, pois a teobromina pode ser reabsorvida pelo organismo na bexiga.

Agora você já sabe porque chocolate para cachorro é proibido! Agora você já sabe quais são os componentes tóxicos do chocolate para os cachorros e porque eles são tóxicos, quais são os efeitos deles no organismo dos cachorros e quais são os sinais clínicos da intoxicação. Nunca ofereça chocolate para o seu cachorro e nem seus derivados, como bolos, outros tipos de doces e achocolatados. E se você suspeitar que o seu cachorro comeu chocolate incidentalmente, leve-o para uma clínica veterinária da sua confiança. 🙂 

Ah, e se você quiser saber uma receita de chocolate que é bom para cachorro, leia o nosso post “Receita de Chocolate Bom para Cachorro: Descubra Aqui Como Fazer!” e aprenda a fazer uma receita de chocolate saudável que o seu cachorro pode comer!

Recado importante: devido a grande quantidade de dúvidas recebidas pelos leitores do nosso blog e também observada na rotina da clínica veterinária,  foram desenvolvidos um guia completo sobre vacinação de cães e um guia completo sobre vacinação de gatos para você garantir a segurança do seu pet. Com este material, você poderá ter certeza que o seu pet está recebendo as vacinas corretas nos períodos corretos e que ele está recebendo também vacinas de qualidade, além de saber quais as doenças as quais ele está protegido e o que elas causariam, as reações adversas das vacinas, os locais indicados para aplicação de vacinas em gatos e muito mais! Clique aqui para acessar o Guia de Vacinação para Cães e clique aqui para acessar o Guia de Vacinação para Gatos. 🙂

Guia de Vacinação para Cães
Guia de Vacinação para Gatos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Além de um ato de amor, um ato de responsabilidade: assine a única newsletter que vai ajudar você a ser o melhor amigo do seu pet e receba conteúdos diretamente no seu e-mail clicando aqui!