Câncer Animal: Conscientização e Combate no Setembro Lilás

1. O que é o setembro lilás?

O setembro lilás é o mês dedicado a conscientização e combate do câncer animal, doença que tem acometido muito cães e gatos atualmente. O objetivo do setembro lilás é difundir as informações sobre o câncer animal para auxiliar os tutores na prevenção e no diagnóstico precoce da doença, garantido a proteção dos seus bichinhos.

2. O que é o câncer animal?

A neoplasia, que pode ser benigna ou maligna, corresponde ao crescimento anormal dos tecidos do organismo de forma não-responsiva aos mecanismos de controle de crescimento. As células começam a se proliferar de forma desordenada devido a uma série de mutações no seu DNA.

A neoplasia benigna é caracterizada pela presença de um tumor não-cancerígeno (benignos) no organismo dos animais. Os tumores benignos apresentam taxa de crescimento lenta, crescem ao se expandir pelo tecido e não cursam com metástase.

A neoplasia maligna, ou câncer, é caracterizada pela presença de um tumor cancerígeno (maligno) no organismo dos animais. Os tumores malignos apresentam taxa de crescimento rápida, crescem  ao invadir e se infiltrar no tecido e cursam com metástase.

A metástase é o processo pelo qual as células tumorais se disseminam pelos vasos sanguíneos ou vasos linfáticos para outros lugares do corpo, como pulmão e cérebro, por exemplo.

3. Quais são os tipos de câncer mais comuns em cães e gatos?

Os tipos de câncer mais comum em cães e gatos atualmente são o câncer de mama, o câncer de pele e o linfoma. Alguns tipos comuns de tumores estão listados abaixo.

Papiloma: nódulos pequenos que lembram uma couve-flor na mucosa oral de cães; são induzidos por vírus; podem regredir espontaneamente; mais comum em cães com até 1 ano de idade.

Tumor venéreo transmissível: lesões na vulva, vagina, pênis, prepúcio, mucosa oral e nasal; transmissão pelo coito, sendo mais comum em animais de rua.

Linfoma: tumor de células linfóides; linfonodos com aumento de volume; mais comum em animais de meia idade.

Carcinoma de células escamosas: tumor de pele, que pode ocorrer em qualquer parte do corpo; lesão erosiva; mais comum em animais mais idade.

Mastocitoma: tumor de mastócitos; nódulo de crescimento lento; pode ocorrer em animais de qualquer idade.

Osteossarcoma: tumor de ossos longos próximos às articulações de crescimento rápido; incapacidade de apoiar a pata no chão, inchaço, dor.

4. Quais são os sinais clínicos do câncer animal?

Os sinais clínicos do câncer animal dependem muito do tipo de tumor. Algumas vezes, os sinais clínicos podem ser inespecíficos, como emagrecimento, febre, prostração, vômito e diarréia. Alguns tumores podem cursar com aumento de volume em determinada região do corpo ou lesões cutâneas pelo corpo.

Alguns tipos de tumores podem vir acompanhados de alterações sistêmicas, como hipertermia, anemia, caquexia, distúrbios na coagulação e neuromiopatia, sendo chamadas de síndrome paraneoplásica.  Exemplos desses tumores são o linfoma, o carcinoma, o mastocitoma e o osteossarcoma.

5. Como é feito é o diagnóstico do câncer animal?

O diagnóstico do câncer animal é realizado por médicos veterinários a partir do exame físico do paciente, exames de sangue e exames complementares de imagem. A radiografia torácica e a ultrassonografia abdominal auxiliam na pesquisa de metástase.

O diagnóstico definitivo é realizado por meio do exame de biópsia, o qual consiste na coleta de material do tumor e a sua análise em microscópio, permitindo assim identificar o tipo e o grau do tumor.

Importante: o diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento! Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, mais chance o tratamento tem de ser eficaz.

6. Como é feito o tratamento do câncer animal?

O tratamento do câncer animal depende do estado geral do paciente, do tipo e do grau do tumor e o seu objetivo pode ser erradicar o câncer ou estacionar a sua evolução, melhorando a qualidade de vida do paciente.

As opções de tratamento do câncer animal são a cirurgia para remoção de tumores maiores, a criocirurgia (aplicação de nitrogênio líquido), a quimioterapia (uso de medicamentos específicos) e a radioterapia (uso de radiação ionizante), as quais promovem a destruição das células tumorais, e o tratamento multimodal, o qual consiste na combinação das opções anteriores.

7. Como é feita a prevenção do câncer animal?

A prevenção do câncer animal pode ser feita por meio de consultas periódicas ao médico veterinário, para que o profissional avalie o paciente e realize exames de rotina a fim de identificar alterações que podem representar um possível risco para o paciente.

Além disso, o câncer de mama em cadelas e gatas e o câncer de próstata em cães e gatos podem ser prevenidos por meio da castração antes de 1 ano de idade. A castração é um procedimento simples que diminui muito as chances de desenvolvimento da doença.

Câncer animal: o que é, tipos mais comuns, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prevenção

Recado importante: quando pegamos um cãozinho filhote, queremos oferecer o melhor para ele. São tantas informações que precisamos ter conhecimento para garantir a saúde e o bem-estar de um filhote que muitas vezes acabamos ficando perdidos. Por isso, reuni todas as informações sobre alimentação, vacinação, vermifugação, banhos, controle de pulgas e de carrapatos, castração, saúde dental e socialização, ou seja, todos os primeiros cuidados necessários com os cãezinhos no Manual de Primeiros Cuidados para Cães Filhotes. É só clicar aqui para garantir que o seu filhote receba tudo o que ele precisa.

Manual de Primeiros Cuidados para Cães Filhotes

Além de um ato de amor, um ato de responsabilidade: assine a única newsletter que vai ajudar você a ser o melhor amigo do seu pet e receba conteúdos diretamente no seu e-mail clicando aqui!